Reflexões sobre Comer Carne

Reflexões sobre comer carne – Somos Carnívoros?

Hoje cada vez mais e mais pessoas estão se tornando vegetariano: Não somente com a bandeira de uma comida mais natural e defensores dos animais, acredito que existe um chamado a todos nos mostrando que quando comemos carne, comemos o sofrimento do animal o sangue que ele derramou pra nos alimentar, que ele sente “dor”.  Que eles sendo produzidos como mercadorias em larga escala, traz sérios danos para nosso entorno.
A evolução da humanidade será para a alimentação sem carne e chegará um dia em que todos tomarão consciência e verão que não está bem alimentar-se do sofrimento de outros. Há um tempo era normal que existissem escravos, assim como outras atrocidades do homem, sempre para beneficio próprio, comércio e ganância.
Com tanta variedade de alimentos vegetais, não é necessário essa barbárie que é tida como super normal por sermos educados e alimentados pelo primitivismo do homem.
E muito mais pela violência que são os matadouros e a indústria desse mercado, porque quando vamos ao supermercado vemos em pedaços dentro das embalagens, será que seria diferente se tivéssemos que matá-los. Não vemos como cadáver. Fechamos os olhos pra isso e não pensando nas conseqüências desastrosas dessa criação em larga escala. Então alguma vez pensou que os “pedaços” de carne, frango ou peixe que guarda na geladeira são Cadáveres, que uma vez que tempera com “vegetais” para dar sabor, cozinha e elabora o prato, estará consumindo não somente as toxinas de um animal, mas também os antibióticos, hormônios e as bactérias que contraiu ao ser empacotado, etc? Alguma vez já se perguntou que faz um ser humano consumindo o leite que uma vaca produz para alimentar sua cria e não a ti?
Ainda que sejamos seres superiores ao animal, não somos o suficientemente superiores para enxergar isso, nossa cultura nos mostra ser natural comer carne, mesmo com tantos motivos para mudar.
                         
MOTIVOS PARA SER VEGETARIANO OU VEGAN

Algumas pessoas estão deixando de comer carne para ter mais saúde e muitos prêmios Nobel se converteram em grandes difusores e praticantes de uma alimentação que não inclui a ingestão de cadáveres, pela lentidão nociva do processo digestivo que nos faz perder a maior parte da energia metabólica do dia e pela acumulação de gorduras animais como principais causas de mortalidade, além do tema antes não reconhecido e hoje tido como certo, da causa de vários cânceres.

Outros fazem também para proteger o meio ambiente, onde a indústria da carne e derivados é uma das mais prejudiciais para o planeta, (assistam ao vídeo abaixo a Carne é Fraca). Segundo a ONU, “a maior geradora de gases de efeito invernadero: dióxido de carbono, metano, óxido nitroso e amoníaco, é a industria da carne”. Além, a FAO (Food and Agriculture Organization, dependente da ONU) assegura que também é “a principal causa de desflorestamento para criar pastos e cultivos forrageiros, dado que o gado utiliza o 30% da superfície terrestre e ocupa o 33% de toda a superfície cultivável destinada a produzir forragens. Ao mesmo tempo, os frigoríficos, os curtumes e suas industrias derivadas contaminam a água, o ar e a terra”.

Existem outros cuja principal razão de não comer carne é não querer participar do crime silencioso, mas diariamente contra aqueles que não tem voz.
Em todos os casos, a pratica é sempre a mesma: Não violência. Não violência com o organismo corpo-mente, não violência com a Terra, não violência com os animais. Esta tripla concorrência tem uma lógica: se tudo é UM, o que é certo para a lei do coração é também para as leis da natureza.
A Terceira lei
Tem uma terceira lei, a lei do karma, sutil para os sentidos, mas não por isso menos eficaz. Este é o quarto tipo de violência que evitamos ao abster-nos da carne e seus derivados: o mal karma que geramos a nós mesmos. Desde um ponto de vista físico, o animal sofre por estar sendo assassinado e a quantidade de adrenalina que desenvolve ante o estresse faz que a carne seja ainda mais venenosa para quem a consume. Da mesma forma quem o mata recebe uma perturbação energética que produz a sua violência, agressividade, e um karma residual muito duro. Por ultimo está quem o consome, que capta em menor grau, mas em forma inevitável o karma negativo da matança do animal.

O Homem é carnívoro por natureza e a carne é Compatível para os Humanos?

Veja o quadro:

Comparações fisiológicas

Animais carnívoros

Animais Herbívoro-Frutívoros

(vegetarianos)

Humanos

Não transpiram. Eliminam o calor principalmente pela boca mediante o arquejo.

Transpira pelos poros da pele.

Transpira pelos poros da pele.

Tem garras

Não tem garras

Não tem garras

Dentes pontiagudos e afiados para destroçar a carne. Não possuem molares planos para mastigar.

Não tem dentes dianteiros pontiagudos, têm molares planos posteriores para mastigar.

Não tem dentes dianteiros pontiagudos, têm molares planos posteriores para mastigar.

Seu intestino é três vezes mais comprido que seu corpo, assim a carne em decomposição se elimina mais rápido.

O intestino é de dez a doze vezes o comprimento do corpo, pelo qual tem um longo processo digestivo.

O intestino é de dez a doze vezes o comprimento do corpo, pelo qual tem um longo processo digestivo.

Possui um poderoso ácido clorídrico no estômago para digerir e processar a carne.

Ácidos estomacais vinte vezes mais suaves que nos carnívoros.

Ácidos estomacais vinte vezes mais suaves que nos carnívoros.

Carnívoros!Por outros motivos, não pela fisiologia.

A comida vegetariana é um prazer para nossos olhos, para o paladar, além de ser boa para a saúde. O certo é que numerosos estudos demonstram que os vegetarianos tem sistemas imunológicos mais fortes que os carnívoros com a tendência mais alta de morrer de problemas cardíacos, e são 40% mais propenso de contrair câncer. No ponto de vista psíquico, a carne aumenta a adrenalina e reduze a serotonina cerebral, no qual aumenta a ansiedade, o stress, a angustia e a insônia. Outros efeitos do consumo de carne e produtos derivados são a diabete, artrite, osteoporose, colesterol, pressão arterial alta, enfartes, obesidade, asma, impotência… e a lista segue.
Ser Vegan é tirar da dieta todos os derivados de proteína animal, enquanto ser Vegetariano é comer os derivados de proteína animal. Conselhos para se tornar Vegan por Pamela Ardenson, uma adita Vegan.
1. Ser Vegan: Pamela assegura que sua dieta Vegan não somente a ajuda a manter-se em forma mas, que também graças a ela conseguiu manter-se sã apesar de padecer de hepatite C.
2. Torne-se Vegan devagar: garante que a mudança a Vegetariano e a vegan deve se fazer com calma eliminando-se pouco a pouco as carnes e logo os produtos derivados de animais, alimentando-se mais de frutas e verduras assim como de proteínas vegetal.
3. Primeiro nutrição e depois exercício: Nada serve passar horas na academia se não estamos nos alimentando devidamente, deve concentrar-se em comer proteína vegetal, depois frutas e verduras e para os snacks frutos secos, amêndoas e sementes.
4. Hidratar-se é clave: Carrega um recipiente de água constantemente, seu corpo necessita manter-se hidratado para ser saudável.
Devido ao grande números de citas feitas por Sábios, Santos e Gênios, comparto estas inspiradoras frases, como de Albert Einstein, pioneiro em tantas coisas, também de frases como as que coloco mais abaixo, seguindo ele mesmo uma dieta vegetariana durante os últimos anos de sua vida, como um despertar! Mas nao é somente Einstein, sendo defensor também do vegetarianismo Sócrates, Pitagoras, Leonardo da Vinci, Tolstoy...
Mais abaixo também, videos relacionados ao vegetarianismo e a essa indústria.

Reflexões e Citas famosas sobre os Animais e a Necrofagia
Albert Einstein
* Eu sou um fervoroso seguidor do vegetarianismo por princípio. Mais que nada por razoes morais e éticas, eu acredito firmemente que uma ordem de vida vegetariana, simplesmente por efeitos físicos, influirá sobre o temperamento do homem de modo que melhorará em muito o destino da humanidade.
* Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as possibilidades de sobrevivência da vida sobre a terra, como a evolução para uma dieta vegetariana.
Albert Schweitzer, premio Nobel da Paz 1952
*Devemos lutar contra o espírito da inconsciência cruel com que tratamos os animais. Os animais sofrem tanto quanto nós. A verdadeira humanidade não nos permite impor tais sofrimentos. É nosso dever fazer todo o mundo reconhecê-lo. ATÉ QUE não estendamos nosso circulo de compaixão a todos os seres viventes, a humanidade não encontrará a paz.
* Quando os animais suportam agonias imagináveis por parte dos homens sem coração, quando existe, tanto maltrato aos animais, ninguém deveria ser indiferente, ninguém deveria permitir, se é que pode impedir-lo, esta dor e este sofrimento. Um homem ético não arranca a folha da árvore nem corta a flor, e é cuidadoso para não matar um inseto ao caminhar.
Anúncios