Terra Oca e Intraterrenos 2 – Teoria

ver: Terra Oca e Intraterrenos 1 – Serra do Roncador

Terra Oca

“Não é fácil trazer ao mundo profano verdades absolutas até então mantidas sob um véu de mistérios e superstições. O homem terráqueo encarnado na superfície pouco conhece de si e do Planeta que habita. Talvez, se houvesse acreditado e praticado as Sublimes Lições do Mestre Nazareno, não teríeis vós, neste
momento, que levantar o véu, pois já não existiria.” (livro: CIDADES INTRATERRESTRES – O Despertar da Humanidade/GER – Grupo de Estudos Ramatis, 2003)

Publiquei um texto sobre Serra do Roncador no Mato Grosso com a historia do Coronel Fawcett, e a possibilidade da existência de vida intraterrena nessa região. É atualmente um tema controvertido, mas sem duvida tem cada vez mais pessoas interessadas neste fascinante e inquietante mundo. O Mundo dos Intraterrenos. Muitíssimo científicos de todo o planeta se unem a esta fantástica teoria, teoria que está sendo comprovada por eles mediantes cálculos científicos com muitas possibilidades da sua veracidade.
A melhor crônica de uma viagem a Terra oca fez o Almirante Richard E. Byrd de EUA. Seu descobrimento foi censurado e silenciado imediatamente pelas “autoridades”.
A ‘Sociedade da Terra Oca’ em Austrália conseguiu conservar os registros de Byrd que transcrevei adiante.
É a Terra oca por dentro e habitada por outras uma ou varias raças?
Se vamos a http://maps.live.com e elegemos a opção de 3D, para descarregar a versão em três dimensões dessa cartografia da NASA, podemos ver empregar a cartografia que emprega a NASA, que quer dizer que corresponde a fotografias de satélite tomadas pela NASA desde espaço. Observa-se nesta imagem do Pólo Sul ampliada verá que tem um círculo no centro da imagem. É um “remendo” que emprega a NASA para ocultar a cavidade no Pólo Norte da Terra.

Se vamos ao Pólo Norte e observamos, nos damos conta de que não existe nenhum casquete polar. Na foto aparecem os gelos de Groenlândia, o norte de Canadá e o norte de Sibéria, mas o casquete de gelo do “Pólo Norte” não aparece por nenhuma parte, porque não existe. A NASA falsificou a fotografia, ocultando a Abertura Polar Norte, da mesma maneira que ocultaram a Abertura Polar Sul.

A ciência nos diz que estão os pontos, do norte e do sul, que marcam exatamente onde as linhas da longitude se cruzam. A pesar de tudo nenhuma expedição teve êxito para chegar a tal ponto. Estudando amostras de perfuração profunda sabemos que a Terra é sólida a uma certa profundidade. Também sabemos que aumenta a temperatura dentro da Terra quanto mais profundamente se perfura, ao menos até o ponto onde se explorou; e portanto assumimos assim que a Terra deve ser sólida em direção ao núcleo. Isso se deve a medidas inexatas e uma assunção.

A compreensão atual da formação do planeta se forma através das linhas de pensamento da ‘Terra sólida’. Segundo Cate Malone, autor do artículo ‘A Terra Oca’, os astrônomos e os físicos crêem que os gases se condensam gradualmente em uma espiral que da voltas, até que a força da gravidade, (outro fenômeno não explicado) puxa deles em forma sólida. Tem, no entanto, outras possibilidades; um estudo simples da força centrífuga poderia desenhar uma Terra completamente nova para nós. A ciência aceita o que a Terra da voltas sobre seu eixo como um pião.

Malone afirma em seu artículo o seguinte: a força centrífuga faz que a Terra se achate levemente no equador e se aplane nos pólos. Para visualizar como poderia parecer a formação de um planeta, pense numa lavadora automática no ciclo de centrifugado. A roupa (gases, líquidos e partículas) se lança para as extremidades da máquina (gravidade). A porção do centro permanece desocupada. O oco do centro está firme. Do mesmo modo que a Terra nunca deixou de dar voltas, assim esta maquina de lavar nunca sai de seu ciclo de centrifugado. Se a máquina continua dando voltas, a água e a roupa começam a agrupar-se no centro.

“Antes de que Colombo descobrira América, a existência de um novo mundo cruzando o Atlântico, na forma de um continente ocidental, se considerava o sonho de um louco. O mesmo acontece, em nossa época, com a existência de um mundo novo, um mundo subterrâneo, no interior oco da terra; uma terra tão desconhecida para a humanidade atual como o continente americano para os europeus antes do descobrimento de Colombo. Portanto, não tem nenhuma razão para que não possa também ser descoberto e que se estabeleça sua existência como um feito”. (Dr. Raymond Bernard – Livro: A Terra Oca)
“Ë bem conhecido que os pólos magnéticos do norte e do sul não coincidem com os pólos geográficos como deveriam… se a Terra fora uma esfera sólida com dois pólos no extremo de seu eixo, ao ser um ima, seus pólos magnéticos coincidiriam com seus pólos geográficos. O fato de que não façam é inexplicável em base a teoria de que é uma esfera ‘sólida’. A explicação chega a estar clara quando assumimos a existência de aberturas polares, com os pólos magnéticos ao largo do borde circular destas aberturas, em lugar de num ponto fixo.”
Segundo Bemard a razão pelo qual ninguém encontrou os pólos do norte ou do sul é simples: “Os pólos magnéticos e geográficos não coincidem… porque enquanto que um pólo magnético se encontra ao largo do borde da abertura polar, os pólos geográficos se encontram no seu centro, em meio do ar e não em terra sólida.”

Este é o aspecto que apresentaria a abertura da Terra no Pólo norte, no interior da Terra tem uma segunda fonte de luz e energia, um sol interior.

Continuar lendo

Anúncios

O Brasil e o LIXO produzido

A grande diferença do Brasil e Europa (e países desenvolvidos) na questão do lixo ainda é a reciclagem e também a não preocupação com o lixo que se produz.Na Europa cada UM É RESPONSÁVEL pelo seu lixo, os recipientes ficam nas ruas, separadamente pelas cores amarelo (plástico, brik, latas), azul (papel), verde (vidro), marrom (orgânico) e cinza (lixo não reciclado). Em quase toda esquina se encontra e você mesmo faz a sua separação levando para os recipientes respectivos, logo será coletado por um caminhão mecânico, (claro somente conduzido por uma pessoa). Inclusive em cidades menores em que se pode ter mais controles, existem multas se a pessoa não faz a separação corretamente, ou seja, se não recicla adequadamente te “obriga” a fazer da maneira correta. (Claro que para isso, existiu um esclarecimento e orientação à população antes). Mais uma vez, cada UM É responsável pelo lixo que PRODUZ. E isso na verdade, somente nos torna mais consciente da quantidade de lixo que produzimos e mais respeitoso com a natureza porque quando se começa a separar as embalagens realmente se nota essa quantidade IMENSA de plásticos e papel que vem nos alimentos. Se a Europa consome mais pela maioria ter um nível de vida melhor, da mesma maneira também existe a consciência de valores, preocupações como levar sacolas desde casa para a compra, já que sacolas não são gratuitas. Isso já faz a diferença, embora não seja a solução. No Brasil além de ter uma maneira arcaica, com lixeiros coletando os sacos de lixos nas ruas(casa por casa), acredito que existe a grande despreocupação do brasileiro e por falta de incentivo, orientação e interesse dos políticos e da prefeitura para mudar essa realidade, talvez levará muitos e muitos anos ainda… até lá, continuará esse total desrespeito com a natureza e o entorno em que vivemos e a ignorância da população a esse respeito. As poucas pessoas que separam o lixo para reciclar fazem de uma maneira voluntaria e de maneira particular. Esse aumento do lixo se deve a melhora do sistema econômico no país, mas ao mesmo tempo o Brasileiro está preparado para essa melhora? Porque se consume mais e ao mesmo tempo se descarta com a mesma velocidade sem a mínima ideia a que isso leva, onde estão os políticos numa cena como esta?

Adnuntiatum
36% do lixo produzido pelos moradores do Rio de Janeiro vão
diretamente para o fundo de lagoas, rios e baias,
ou lixões clandestinos ou aterros irregulares.
Brasileiro produz tanto lixo quanto europeu, diz estudo (O Estado de S. Paulo, 26/05/2010)
O brasileiro já produz a mesma quantidade de lixo que um europeu. A melhoria do poder de compra dos brasileiros está fazendo com que a população do País produza cada vez mais lixo inorgânico, como embalagens, ao mesmo tempo em que a implantação de programas de coleta seletiva e os níveis de reciclagem não crescem na mesma medida. Os dados fazem parte do estudo Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2009, que será divulgado hoje, no Rio de Janeiro.
A média de geração de lixo no Brasil hoje é de 1,152 quilo por habitante ao dia, padrão próximo aos dos países da União Européia (UE), cuja média é de 1,2 kg ao dia por habitante. Nas grandes capitais, esse volume cresce ainda mais: Brasília é a campeã, com 1,698 kg de resíduos coletados por dia, seguida do Rio, com 1,617 kg/dia, e São Paulo, com 1,259 kg/dia. Além disso, o volume de lixo cresceu 7,7% em 2009 – foram 182 mil toneladas/dia produzidas ante 169 mil toneladas/dia no ano anterior.
O estudo, anual, abrange 364 municípios e foi realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), entidade que reúne as empresas de coleta e destinação de resíduos. “Alcançamos um padrão europeu de geração de resíduos e estamos nos aproximando dos americanos (2,8 kg por habitante/dia). Infelizmente, isso está acontecendo sem alcançarmos o mesmo grau de desenvolvimento desses países”, afirma Carlos Roberto da Silva Filho, diretor executivo da Abrelpe.
De acordo com o levantamento, 56,8% desse lixo vai para aterros sanitários, 23,9% vai para aterros controlados (que não possuem tratamento de chorume) e 19,3% termina em lixões. Os aterros das grandes cidades, no entanto, caminham para a saturação.

O Consumismo e o Controle mental de Massas!

Para que triunfe o mal, só é necessário que os bons não façam nada. (Edmund Burke) 

Pra complementar a matéria publicada sobre espiritualidade e o desapego que devemos aprender por bem ou por mal, coloco essa matéria que mostra que o materialismo e o consumismo é algo que fomos condicionado a ter. Trata-se de um MAGNÍFICO DOCUMENTAL sobre como os descobrimentos ‘animais e instintivos’ de Freud sobre a raça humana foram aproveitadas por seu sobrinho Edward Barneys (criador das ‘relações públicas) para controlar mediante o consumismo, as massas, em colaboração com as grandes corporações norte-americanas. Este documental não tem desperdício. É a resposta a sociedade de hoje em dia. A Sociedade do QUER TER.

 
 
Barneys, sobrinho de Freud, criador da sociedade consumista atual

Edward Barneys – sobrinho de Freud, criador da sociedade consumista atual

Esta serie relata como se usam estas teorias para controlar as massas em épocas ‘livres’ de democracia. Como se passa em USA de uma propaganda e um consumismo ajustado as necessidades, a potenciação dos instintos animais dos humanos para nos fazer NECESSITAR os produtos como forma de DESEJO, mais que necessidade. Aí radica o consumismo. Tudo que você quer, é realmente porque precisa? Como fazer as pessoas nunca parerem de comprar, fazer com que tenha lançamentos propositais, com novidades, etc…em tecnologia, vesturario(moda), tantas outras coisas. Usaram as Teoria Freudiana, as fraquezas humanas, que o próprio Freud estava desacreditado e desiludido, em favor de uma dominação invisível. Engenhosidade em prol do poder. Assim se controla as massas. Mais tarde, estas idéias também se usariam em política.
Vendo esse documentário vemos que necessitamos despertar desse paradigma.
O mundo não está em perigo pelas más pessoas e sim por aquelas que permitem a maldade”(Albert Einstein).
Não se permita a essa “maldade” e o controle do seu cérebro, da sua vida, do seu corpo. O ser humano será livre quando descobrir o amor no seu coração(embora o mal está aí também) e o desapego dessas futilidades que nos fizeram acreditar os que se creem “donos” do mundo e da “massa” manejável.
O Século do “Eu” – Episódio 1 – Maquinas de Felicidade

O Século do eu 1 the century of self from Pablo Diaz on Vimeo.

Com mais Episódios, que valem ser vistos: